Testemunhos Plataforma de Estágios

Daniela Martins – Estagiária no Chronic Diseases Research Center (CEDOC)

Realizei um estágio curricular no Chronic Diseases Research Centre (CEDOC), no grupo de investigação Immune Response and Vascular Disease, no âmbito do meu projeto de finalização da minha licenciatura em Biologia Celular e Molecular. Durante o período de estágio fui muito bem acolhida por toda a gente na instituição e tive sempre o apoio de profissionais, tanto do grupo de investigação em que estive inserida, como de outros grupos. Estive sempre acompanhada e fui muito bem orientada relativamente ao trabalho que estava a desenvolver, sendo que tive, inclusivamente, a oportunidade de ir ao Hospital Amadora Sintra acompanhar a recolha de amostras de pacientes que foram utilizadas no estudo em causa. Senti que foi uma boa experiência no meu percurso académico, que me permitiu ter uma melhor noção daquilo que é uma rotina de trabalho em laboratório, sendo que foi bastante desafiante, com algumas frustrações, uma vez que nem sempre tudo corre como se espera quando se faz ciência e investigação. De modo geral, foi uma boa experiência e um bom primeiro contacto com o mundo laboratorial.

 

Isabel Curioso – Estagiária no C-mo Medical Solutions

O meu estágio na C-mo Medical Solutions teve a duração de 1 mês e foi realizado em modo remoto.

Comecei por adquirir sinais de acelerometria e pesquisar acerca da sua aplicação na deteção e monitorização de atividades humanas. Depois, procedi ao desenvolvimento de algoritmos de Human Activity Recognition, com o objetivo de serem integrados no dispositivo monitor de tosse da C-mo Medical Solutions.

O estágio teve um caráter bastante prático e permitiu-me desenvolver novas competências técnicas. Apesar de ter sido um estágio remoto, o acompanhamento por parte da empresa foi diário e fui muito bem recebida.

Enquanto estudante de Engenharia Biomédica considero que este estágio foi bastante completo e gostei imenso da experiência!

 

 

 

Rui Pereira – Research Fellow no INL (International Iberian Nanotechnology Laboratory)

 

O International Iberian Nanotechnology Laboratory (INL) é a primeira Organização Internacional a nível mundial na área da nanotecnologia, cujo trabalho desenvolvido visa a cooperação científica e tecnológica através da realização de investigação fundamental e aplicada.

A investigação que se desenvolve no INL é do mais alto nível, devido à disponibilidade de equipamentos de elevada sensibilidade e resolução, bem como parcerias com empresas líderes de mercado. Além disso, a filosofia de trabalho fomenta cooperação entre pares e supervisores, levando à aprendizagem contínua de áreas diversas.

O ambiente multicultural que encontramos dentro do INL enriquece em muito a experiência e permite um crescimento pessoal com base nas diferentes culturas e nacionalidades. Neste sentido, o processo de acolhimento é realizado de forma muito centrada no bem-estar das pessoas e na integração nas suas funções.  

Formação: Licenciatura em Bioquímica e Mestrado em Biotecnologia Alimentar

 

Ana Almeida – Estagiária através da PE ANEEB 2020/2021 na Neutroplast

No verão do ano passado, participei no programa de estágio da ANEEB, onde tive oportunidade de integrar a equipa da Neutroplast durante um mês. Apesar de ter sido uma altura de COVID-19, a Neutroplast revelou uma postura aconselhadora e disponível. Durante este período, aprendi bastante sobre o funcionamento de uma empresa, tanto a nível de fabricação, como a nível de controlo de qualidade. Aconselho esta experiência a qualquer pessoa que esteja interessada em desenvolver peças de design, como a EasyGyn.

 

Ana Andrade – Estagiária através da PE ANEEB 2020/2021 na Peekmed

Quando fui aceite no estágio da PeekMed, a minha disponibilidade de horário não me permitiu cumprir o tempo inteiro de estágio. No entanto, a empresa compreendeu a situação e fui recebida com entusiasmo. O tema do estágio era extremamente atrativo e atual, embora, por falta de tempo, não tenha conseguido alcançar os objetivos estabelecidos. Mesmo numa situação de trabalho virtual, senti-me acompanhada e orientada. De um ponto de vista geral, mesmo não tendo melhorado tecnicamente na área do estágio, considero-o uma experiência positiva, onde desenvolvi fortemente as minhas soft skills e capacidades sociais. Recomendo veementemente.

 

Hugo Fernandes – Estagiário através da PE ANEEB 2019/2020 na Padrão Ortopédico

Senti-me bem acolhido pela empresa e pela equipa que trabalhou mais de perto comigo. Os membros da equipa mostraram-se sempre disponíveis para me esclarecer questões e para me ajudar a trabalhar com os equipamentos. Fui bem orientado: decidimos um projeto a realizar, e depois consegui levar a cabo o projeto conforme o desejado. Aprendi a trabalhar com impressoras FDM e SLA, e tive a oportunidade de melhorar as minhas habilidades em SolidWorks. Aprendi também a utilizar softwares de auxílio à impressão 3D. Houve sempre flexibilidade para tomar as minhas decisões. O estágio durou apenas 1 mês, mas foi possível aprender bastante.

 

 

Filipa Rebelo – Estagiária na Quidgest

 

Tive oportunidade de realizar um estágio de verão de dois meses na empresa Quidgest, em Lisboa. Embora tenha decorrido em plena pandemia (2020), tive a sorte de poder trabalhar sempre em regime presencial e, assim, ter uma experiência mais imersiva em contexto empresarial. 

Esta experiência foi partilhada com mais cinco estagiários que, tal como eu, ainda eram estudantes de cursos de engenharia (Biomédica, Informática e Gestão de Informação). Nas primeiras duas semanas do estágio, recebemos formação para o software da empresa e realizamos um trabalho final. Consoante a nossa prestação (e preferência), fomos alocados a diferentes áreas e projetos, mas continuamos sempre a trabalhar juntos na mesma sala.

Eu integrei um projeto na área de “Saúde, Desporto e Ciência”, no âmbito da digitalização dos serviços de saúde. As tecnologias usadas foram Genio, HTML5, C#, JavaScript e SQL Server.

Gostei muito desta experiência. Para além de ter aprendido muito, o acolhimento e acompanhamento foram espetaculares! Estávamos em constante contacto com alguém pronto para nos orientar e ajudar, fossem colegas estagiários, a chefia ou outros trabalhadores.

 

 

Ines Lopes – Estagiária através da PE ANEEB 2019/2020 na ST+I

 

Na ST+I – Serviços Técnicos de Informática foi onde fiz o meu primeiro estágio em ambiente empresarial, e sem dúvida que foi uma experiência muito positiva e enriquecedora. Com este estágio pude ter o prazer de observar o funcionamento e dinâmica da empresa, tal como, acompanhar e assistir a resoluções de problemas em tempo real. Tive a oportunidade de aprender ferramentas e conhecimentos muito úteis no meu futuro profissional, como SQL, funcionamento de um hospital e falhas inerentes à estrutura organizacional destes. Por outro lado, tive a oportunidade de acompanhar Engenheiros Biomédicos e assim ter uma noção mais clara de hipóteses de trabalho que um Engenheiro Biomédico pode exercer. Cresci imenso com este estágio tanto a nível profissional como pessoal.

 

 

Luís Duarte – Estagiário no Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC)

 

Realizei a minha tese no CNC num laboratório cujo trabalho se foca essencialmente no papel da mitocôndria nas principais doenças neurodegenerativas. A minha tese acabou por fazer parte de um projeto que tinha como objetivo perceber quais as implicações da relação entre as mitocôndrias e os lisossomas na doença de Huntington. 

Foi uma tese bastante prática que me permitiu adquirir bastante conhecimento em temáticas que não tinha abordado durante o curso nomeadamente ao nível de cultura de células, técnicas de biologia celular e molecular (Western Blot, PCR, etc) e microscopia. Senti sempre apoio por parte dos membros do laboratório, principalmente por parte de uma incansável aluna de Doutoramento. Considero que a experiência me permitiu adquirir conhecimentos que hoje em dia são bastante importantes no trabalho que desenvolvo em contexto laboratorial como engenheiro da Abbott.

 

 

Pedro Pereira – Estagiário no INESC TEC

O INESC TEC é um dos maiores centros de investigação do país e desenvolve estudos em diversas áreas. É também casa do meu estágio deste semestre, estando este maioritariamente associado ao grupo de interpretabilidade onde se desenvolvem métodos de explicação automática para modelos de inteligência artificial. O grupo trabalha principalmente com dados médicos e projetos intimamente ligados à saúde. É um ambiente muito dinâmico, onde os orientadores te dão liberdade para trabalhar de forma autónoma, havendo apenas reuniões semanais para garantir que o trabalho assume o rumo certo. O facto de estar a trabalhar com dados reais faz com que tenha de lidar com problemas idênticos aos do mercado de trabalho, o que leva ao desenvolvimento de ferramentas técnicas como Python (Numpy, Pandas, PyTorch, etc) mas também, e mais importante, ao desenvolvimento do meu engenho e habilidade para lidar com este tipo de problemas. Para além de nas reuniões de grupo estarem presentes engenheiros de diversos backgrounds, incluindo Biomédica, tive também oportunidade de reunir com médicos e clínicos, que têm sempre uma visão distinta da dos Engenheiros, algo que também destaco como muito enriquecedor. Mesmo aos que não tencionam seguir a área da investigação, aconselho vivamente a passagem pelo INESC TEC!

 

 

Diogo Nunes – Estagiário na Patient Innovation

Durante o meu período de estágio na Patient Innovation trabalhei como Research Assistant, contribuindo para a pesquisa de novas soluções na área da Engenharia Biomédica e os respetivos criadores das mesmas. Ao longo do tempo fui capaz de aprimorar as minhas capacidades de pesquisa e descobrir muitas inovações que não tinha noção que existiam, permitindo-me um maior contacto com o mundo da Engenharia Biomédica. A equipa foi espetacular, integrando-me em todas as atividades da empresa, principalmente a orientadora que sempre se mostrou disponível para esclarecer qualquer dúvida que tinha e me ajudou a melhorar cada vez mais. Aconselho vivamente o estágio na Patient Innovation!

 

 

Catarina Matela – Estagiária no Chronic Diseases Research Center (CEDOC)

Realizei o meu estágio, no âmbito do Programa de Introdução à Investigação Científica, no CEDOC – Chronic Diseases Research Center. Eu tive a possibilidade de trabalhar no grupo “Neuronal Trafficking in Aging” sob orientação da investigadora principal, Cláudia Almeida. Neste estágio tive a possibilidade de acompanhar um aluno de mestrado em que o trabalho consistia, resumidamente, em estudar proteínas associadas aos filamentos de actina, em neuroblastomas, e de que forma afetam a endocitose de uma outra proteína associada à doença de Alzheimer. Foi um estágio maioritariamente observacional, porém integraram-me nos lab meetings e apresentações de vários artigos, tanto do grupo como do CEDOC, algo bastate útil para aprofundar esta vertente da investigação biomédica.

 

 

Diana Cruz – Estagiária na Accenture

O estágio na Accenture foi dos períodos de maior crescimento com o qual me deparei. A saúde não foi o ramo em que trabalhei, mas o conhecimento adquirido sobre novas tecnologias e métodos de trabalho fizeram-me ver o quão a nossa formação base nos capacita para as diferentes áreas da engenharia. A equipa fez um trabalho incrível na orientação e passagem de conhecimentos o que me permitiu não só realizar as minhas tarefas mas também evoluir e utilizar as tecnologias de forma autónoma e eficaz. As relações inter-pessoais são importantes por isso somos convidados e aconselhados vivamente a participar em eventos e convívios que nos permitem conhecer a equipa e fomentar os laços. Com isto, acredito que a Accenture é um excelente local para estagiar. Espero ver-te por lá ! 🙂 

 

Retroceder para a Plataforma de Estágios ANEEBI