Avan√ßar para o conte√ļdo

Entrevista a Miguel Bhagubai

Miguel Bhagubai

Mestre em Engenharia Biomédica do Instituto Superior Técnico em Lisboa

A ANEEB teve o prazer de entrevistar um dos alunos que est√° atualmente a terminar o 5¬ļano do Mestrado Integrado em Engenharia Biom√©dica do Instituto Superior T√©cnico em Lisboa, Miguel Bhagubai, no dia 19 de agosto de 2019, tendo tido oportunidade de fazer Erasmus em Twente, na Holanda e Est√°gio Internacional no The BioRobotics Institute em It√°lia, perto de Pisa.

[Entrevistador] ‚Äď Lu√≠s Leston (ANEEB)

[Entrevistado] ‚Äď Miguel Bhagubai

 

Vê aqui a Entrevista completa!

[Entrevistador] ‚Äď Antes de mais, obrigado em nome da ANEEB por teres aceite este convite e por teres disponibilizado um pouco do teu tempo. A experi√™ncia que realizaste no estrangeiro foi em que contexto, onde se realizou e em que altura?

[Entrevistado] ‚Äď Eu fui de ERASMUS no 1¬ļ semestre do 4¬ļ ano, em 2017-2018, para a Holanda, Universidade de Twente e entretanto decidi estender o estudos por mais semestre e, eventualmente, fiz o mestrado todo.

[Entrevistador] ‚Äď Porque √© que escolheste a Holanda como destino?

[Entrevistado] ‚Äď Primeiro, pelo renome de qualidade da faculdade e por ser dos s√≠tios mais desejados pelos candidatos de Erasmus.

[Entrevistador] ‚Äď Porque √© que achas que seria ben√©fico realizares Erasmus?

[Entrevistado] ‚Äď Eu j√° tinha o desejo de ir de Erasmus desde o in√≠cio do curso e experienciar uma aventura internacional.

[Entrevistador] ‚Äď Qual foi a maior dificuldade a n√≠vel burocr√°tico?

[Entrevistado] ‚Äď O mais complicado foi conseguir receber as equival√™ncias pelas cadeiras que ia fazer. Entretanto, tive de fazer algumas cadeiras que n√£o estava √† espera, mas consegui resolver. Por outro lado, foi bastante f√°cil a inscri√ß√£o para o mestrado total, no qual tinha de fazer 12 cadeiras e apenas 4 eram obrigat√≥rias.

[Entrevistador] ‚Äď A n√≠vel de arranjar alojamento, como foi?

[Entrevistado] ‚Äď Eu cheguei √† Holanda sem casa, permaneci num hotel temporariamente e entretanto, com sorte, consegui arranjar uma resid√™ncia, mas no geral, √© complicado arranjar alojamento na Holanda.

[Entrevistador] ‚Äď Precisaste de fazer seguro de sa√ļde?¬†

[Entrevistado] ‚Äď N√£o, apenas levei o Cart√£o Europeu de Sa√ļde.

[Entrevistador] ‚Äď Sentiste que foste bem recebido, que tiveste apoio?

[Entrevistado] ‚Äď Sim. Sempre que tens alguma dificuldade, √©s imediatamente auxiliado, tanto pelas pessoas como pelos gabinetes.

[Entrevistador] ‚Äď Relativamente √† l√≠ngua, tiveste dificuldades? Era usual o uso do ingl√™s?

[Entrevistado] ‚Äď N√£o, na Holanda toda a gente fala bem ingl√™s e, inclusive, √© incentivada a usar o ingl√™s como faculdade internacional.

[Entrevistador] ‚Äď Como sentiste a experi√™ncia, face √† expectativa que tinhas desta?

[Entrevistado] ‚Äď Superou completamente, tanto que seria dif√≠cil n√£o ficar c√° depois do 1¬ļ semestre.

[Entrevistador] ‚Äď Sentiste algum tipo de choque cultural?¬†

[Entrevistado] ‚Äď H√° certos h√°bitos diferentes que chocam mas com habitua√ß√£o √© normal, tais como o sair √† noite cedo, jantar √†s 17:30, pausas de almo√ßo curtas, entre outros.

[Entrevistador] ‚Äď Se soubesses o que sabes agora, o que terias feito diferente?

[Entrevistado] ‚Äď Teria imediatamente feito a inscri√ß√£o para o mestrado todo, sem Erasmus.

[Entrevistador] ‚Äď Arrependes-te de algo?

[Entrevistado] ‚Äď Tive alguma sorte, mas n√£o me arrependo de nada.

[Entrevistador] ‚Äď Qual foi √© mais-valia que retiras?

[Entrevistado] ‚Äď Penso que a experi√™ncia que tive me trouxe mais maturidade e experi√™ncia para ultrapassar obst√°culos fora da zona de conforto e ao mesmo tempo me permitiu fazer amizades e contactos por todo o mundo, e penso que √© algo de imensa gratifica√ß√£o pessoal, independentemente do lugar para onde se v√°.

A ANEEB agradece por teres aceite esta entrevista e pela partilha da tua experiência fora de Portugal, esperando com isto ajudar outros estudantes que estejam prestes a tomar esta decisão. Votos de sucesso!