Conferência Nacional de Engenharia Biomédica

 

A Conferência Nacional de Engenharia Biomédica, organizada pela ANEEB, é um evento pioneiro de teor pedagógico e informativo tendo como mote primordial a análise e discussão coletiva de assuntos relativos ao ensino da Engenharia Biomédica e a sua promoção no contexto atual e futuro da Saúde. 

Destinado a todos os estudantes de Engenharia Biomédica, nos dias 17 e 18 de setembro, a ANEEB espera por ti na Ordem dos Engenheiros – Região Norte na cidade do Porto!

 

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

1º dia (17 setembro)

08h30 às 10h00: Check-in

10h00 às 10h30: Sessão de Abertura 

10h30 às 12h00: Roundtable Ensino de Engenharia Biomédica: Nacional vs Internacional

12h00 às 12h30: Momento Recreativo

12h30 às 14h00: Almoço 

14h00 às 15h30: Roundtable Engenheiros Biomédicos de Sucesso: deixa-te inspirar!

15h30 às 16h15: Coffee Break

16h15 às 17h15: Roundtable Como ter um ensino superior diferenciado?

18h00: Sunset

2º dia (18 setembro)

08h30 às 10h00: Check-in

10h às 11h30: Speed Dating

11h30 às 12h15: Coffee Break & Networking

12h15 às 13h15: Roundtable O papel da Engenharia Biomédica na Inovação Hospitalar

13h15 às 14h30: Almoço 

14h30 às 15h30: Coffee Break & Momento Recreativo

15h30 às 16h00: Sessão de Encerramento

O que podes esperar?

17 SETEMBRO

Roundtable – Ensino de Engenharia Biomédica: Nacional vs Internacional

Com professores de renome nacional e internacional, nesta roundtable fomentar-se-á uma discussão sobre os diferentes formatos de educação em Engenharia Biomédica que se verificam em diferentes paradigmas educacionais, numa perspetiva de comparação do ensino nacional e internacional e da evolução do mesmo.

Miguel Morgado é licenciado em Engenharia Física (ramo de Instrumentação) e doutorado em Física (especialidade Física Tecnológica). Atualmente, é Professor Associado do Departamento de Física da Universidade de Coimbra, onde leciona disciplinas de eletrónica, instrumentação optoeletrónica e processamento de sinais biomédicos. É também o atual coordenador do Doutoramento em Engenharia Biomédica da Universidade de Coimbra.

É investigador sénior e membro da comissão executiva do CIBIT – Centro de Imagem Biomédica e Investigação Translacional. Especializou-se em instrumentação electrónica e óptica e trabalha nas áreas da imagiologia ótica e da ótica biomédica, focando-se no desenvolvimento de instrumentação e técnicas para imagiologia ocular funcional.

É ainda co-fundador de várias empresas de base tecnológica.

Realizou o mestrado em Engenharia Eléctrica na KU Leuven, Bélgica, em 1991, o mestrado em Engenharia Eléctrica na Universidade de Stanford, EUA, em 1992, e o doutoramento em Engenharia Eléctrica na KU Leuven em 1998. Foi nomeado professor associado na divisão Processing Speech and Images (PSI) do Departamento de Engenharia Electrotécnica (ESAT) da KU Leuven em 2004 e promovido a professor titular em 2018. É o chefe da divisão ESAT/PSI desde 2019. O seu principal interesse de investigação reside em estratégias computacionais para análise de imagens médicas e na sua aplicação na resolução de questões clínicas e biomédicas numa ampla variedade de disciplinas, incluindo imagens neuronais, cardíacas e oncológicas, radioterapia, pré-clínicas e imagens de pequenos animais. É investigador no Centro de Investigação de Imagens Médicas do hospital universitário UZ Leuven, o que lhe permite ter uma interacção estreita com investigadores clínicos e biomédicos, resultando em muitas colaborações formais e informais e numa forte alavancagem da sua investigação para aplicações reais e projectos conjuntos. Já (co-)supervisionou 20 teses de doutoramento e publicou mais de 150 artigos de revistas e mais de 100 artigos de conferências. Lecciona cursos sobre imagem médica e análise de imagem médica no programa de Mestrado em Engenharia Biomédica da KU Leuven. É também director do programa de Mestrado em Engenharia Biomédica da KU Leuven desde 2020.

É professora associada no departamento de Engenharia de Design e Matemática na Universidade de Middlesex. Leciona uma série de programas e especializa-se em projectos práticos, dando aos estudantes as ferramentas  que necessitam para produzir protótipos, plataformas de teste, etc. É líder do módulo de prática de design no primeiro ano do programa BEng/MEng Engenharia Biomédica.

Pedro Ribeiro, titular do curso BEng Engenharia Biomédica na Universidade de Middlesex, Londres, está a concluir o seu mestrado em Engenharia Biomédica na Escola Superior de Biotecnologia (UCP). Interessa-se pela teoria e desenvolvimento de interfaces cérebro-computador, especialmente na recolha de dados relacionados com a atividade cognitiva e motora em resposta a estímulos extracorporais, assim como no desenvolvimento de software, ambicionando exercer na  indústria de software médico.

Roundtable – Engenheiros Biomédicos de Sucesso: deixa-te inspirar! 

Nesta roundtable, conhecerás perfis de Engenheiros Biomédicos que, com mérito, construíram um percurso académico e profissional de sucesso. O mote é inspirar e despertar nos participantes a ambição de lutarem também pelo seu sucesso e pelo honroso nome da Engenharia Biomédica! 

Luis Valente é co-Founder e CEO da  iLoF – Intelligent Lab on Fiber. Criou o seu primeiro negócio aos 18 anos e é considerado Forbes 30 under 30 for Science and Healthcare, passando vários anos focado na inovação e melhoria de estratégias que aliam a tecnologia à saúde.

Foi a sua forte crença no poder e importância da Tecnologia na busca de terapias personalizadas que fez Luis Valente cofundar a iLoF. A iLoF é uma empresa spin-off do INESC TEC e uma start-up de base tecnológica, a atuar na área da saúde para o desenvolvimento de ferramentas de estratificação de pacientes com o uso de algoritmos de Inteligência Artificial para  Atualmente foca-se na procura de tratamentos personalizados para pacientes com doenças complexas e heterogéneas. 

A iLoF é uma start up que atua na area de medicina personalizada e tem vindo a desenvolver uma tecnologia que combina algoritmos de Inteligência Artificial e Biofotónica. Objetiva, assim, desenvolver uma forte base de dados de diferentes biomarcadores e perfis biológicos, ajudando no diagnóstico e terapia de doenças como a Doença de Alzheimer.

Carlos Honrado é investigador no Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) em Braga, focando-se no desenvolvimento de dispositivos de microfluídica para separação, análise e cultura de células tumorais. 

Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade do Minho, obteve o Doutoramento em Engenharia Biomédica na Universidade de Southampton (UK), tendo trabalhado como investigador pós-doutoral na Universidade da Virgínia (EUA). 

É (co-)autor de 18 artigos científicos (h-index = 11) e autor de 4 patentes (uma das quais já publicada).

Em 2022 foi-lhe atribuída uma das competitivas bolsas Marie Skłodowska-Curie Actions para projectos inovadores, onde se irá focar no estudo do cancro do endométrio usando vesículas extracelulares e a junção de métodos optofluídicos com testes genéticos. 

Luís Rita é CEO e co-fundador da CycleAI e escritor na Towards Data Science. Após se tornar Mestre em Engenharia Biomédica pelo Instituto Superior Técnico, encontra-se a realizar o Doutoramento em Medicina Computacional no Imperial College London. Em 2021 foi-lhe atribuído o prémio WSA Global Young Innovator que engloba o prémio Europeu da Juventude e é um reconhecimento especial aos jovens com menos de 26 anos de idade, que usam as tecnologias de informação para agir sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Filipe Mealha, mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade Nova de Lisboa, é o atual coordenador da Unidade de Planeamento, Arquitetura, Conformidade e Engenharia dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Assume responsabilidade em matérias de arquitetura empresarial, interoperabilidade e é o representante da SPMS no Centro de Terminologias Clínicas da Saúde e em vários grupos internacionais como o Semantic Subgroup e Technical Subgroup da eHealth Network.



Roundtable – Como ter um ensino superior diferenciado? 

Durante esta sessão serão apresentadas oportunidades de ensino e experiências enriquecedoras alternativas, levadas a cabo por Engenheiros Biomédicos durante o seu percurso universitário, e o impacto das mesmas na formação profissional de cada um. Com este momento podes conhecer programas e formas de inovar o teu percurso! 

Beatriz Barros é Mestre em Engenharia Biomédica pela Universidade de Coimbra.

No 2º ano do seu percurso académico estudou um semestre no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, no âmbito do programa Almeida Garrett. 

No 4º ano fez Erasmus em Heidelberg, Alemanha, na área de Imagem e Radiação. 

Já no 5º ano integrou o programa “Inovação em Saúde”, EIT Health, na Dinamarca. Realizou a tese de mestrado na área de simulação em cardiologia de intervenção, em colaboração com uma startup. Atualmente trabalha na NU-RISE, uma medtech na área de radioterapia.

Carolina Martins possui a licenciatura em Engenharia Biomédica pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, concluída em 2018. 

Posteriormente, ingressou no programa de Mestrado CEMACUBE (Common European Masters in Biomedical Engineering) concluído em 2020, com diploma de duplo mestrado em Engenharia Biomédica emitido pelas universidades de Ghent e Trinity College Dublin com distinção. 

Atualmente encontra-se a realizar doutoramento em Bioengenharia na Trinity College Dublin, no laboratório do professor Dr. David Hoey.

Catarina Camarate é estudante do 2º ano de Mestrado de Engenharia Biomédica e Biofísica na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Pautou a sua licenciatura com a realização de três estágios: o primeiro teve lugar na Glintt no âmbito do desenvolvimento de uma aplicação para pacientes com cancro; o segundo realizado em parceria com a start-up Neroes na área do neurofeedback; e um estágio no INL (Instituto de Nanotecnologia, Braga) no qual colaborou numa equipa de investigação para diagnóstico do cancro utilizando nanopartículas. Ainda para a realização da tese de mestrado, realizou estágio na Neuroelectris, uma empresa da área da neurociência sediada em Barcelona. 

Aliado ao mencionado, Catarina Camarate realizou um módulo do EIT Health Module em parceria com a Copenhagen Business School denominado por “Métodos Quantitativos Avançados para Inovação em Saúde”. Com um percurso marcado por atividades extracurriculares, Catarina fez ainda parte do Núcleo de Estudantes de Engª Biomédica da Faculdade de Ciências. 

Henrique Nogueira Pinto tornou-se Mestre em Bioengenharia pela Universidade do Porto em 2021 e atualmente é estudante de Doutoramento na UMC de Amesterdão e na UMC Utrecht, no âmbito do projeto CONNECT – Connecting the Blood-Brain Barrier to Cerebral Organoids.

O seu percurso de investigação começou em 2018, quando integrou o Grupo Microenvironments for New Therapies do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto e no ano seguinte integrou o grupo NanoBiomaterials for Targeted Therapies no mesmo Instituto. 

Em 2020 participou no programa Erasmus+ Placements no Stem Cell Institute de KU Leuven na Bélgica, explorando as áreas de organ-on-a-chip e iPSCs. O projeto de tese de Mestrado foi realizado no grupo Bioengineered 3D Microenvironments no i3S, onde desenvolveu organóides vascularizados num hidrogel à base de fibrina.

Durante o seu percurso académico, Henrique foi presidente do Núcleo de Estudantes de Bioengenharia da Universidade do Porto (NEB-FEUP/ICBAS), co-fundador da associação juvenil de proteção ambiental FOCA – Focus On Critical Actions, membro da Associação de Estudantes do ICBAS e um líder escoteiro.

18 SETEMBRO

Speed dating

No Speed Dating pretende-se a elucidação e esclarecimento sobre os diferentes perfis de mestrado em Engenharia Biomédica existentes nas IES de cada um dos Associados Efetivos da ANEEB, assim como alguns perfis de doutoramento. Contactando diretamente com alunos de fim de curso ou recém-diplomados, terás oportunidade de conhecer as especializações de mestrado nacionais em Engenharia Biomédica de todo o país, planos curriculares, saídas profissionais e tudo o que tiveres interesse em saber de forma a identificares o mestrado mais indicado para ti. 

Rafael Pires Miranda – PhD na Siemens Healthineers

Beatriz Frias – Mestre em Engenharia Biomédica

Cristiana Rodrigues – Mestre em Engenharia Biomédica e Biofísica

Ana Matoso – Mestre em Imagiologia, Biossinais e Instrumentação Biomédica

Mariana Henrique – Mestre em Células estaminais e Medicina Regenerativa

Telma Esteves – Mestre em Engenharia Biomédica 

Filipa Rebelo – Mestre em Engenharia Biomédica 

Mariana Coutinho – Mestre em Engenharia Biomédica

Bárbara Costa – Mestre em Engenharia Biomédica

Daniela Metello – Mestre em Biomateriais

Inês Félix  – Mestre em Informática Clínica e Bioinformática

Patrícia Ribeiro  – Mestre em Instrumentação Biomédica

Maria Campelos – Mestre em Instrumentação e Informática Médica

Salomé Luís  – Mestre em Biomateriais, Reabilitação e Biomecânica

Mafalda Cruchinho  – Mestre em Engenharia Clínica

Francisca Nogueira – Mestre em Informática Médica

Beatriz Miranda  – Mestre em Eletrónica Médica

Daniel Rodrigues – Mestre em Engenharia Biomédica 

Mónica Lucena – Mestre em Bioengenharia Molecular

Networking 

Momento de Networking com empresas da área parceiras do evento, onde terás oportunidade de contactar com empresas de renome e tirar todas as tuas dúvidas sobre tarefas de um Engenheiro Biomédico, transição para o mercado de trabalho, áreas de ação da entidade, entre outras.  

Roundtable – O papel da Engenharia Biomédica na Inovação Hospitalar

A crescente inovação nos cuidados médicos deve-se maioritariamente à evolução científica e tecnológica e, nesse sentido, torna-se premente a procura por Engenheiros Biomédicos que colaborem na digitalização, inovação e gestão em saúde. 

Nesta roundtable abordar-se-ão estas e outras tantas temáticas substanciadas na importância e funções de um Engenheiro Biomédico na promoção da qualidade e segurança assistencial de um ambiente clínico, a evolução da aliança entre a medicina e a engenharia e o futuro do papel de um Engenheiro Biomédico neste meio. 

Ana Sofia Silva concluiu o Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica em 2017, tendo-se especializado no ramo de Engenharia Clínica.

Desde novembro de 2017 até abril de 2021 exerceu funções no Hospital Santa Maria Maior,

E.P.E. – Barcelos, como Gestora da Qualidade e como Responsável do Gabinete de Comunicação e Marketing. Para além disso, durante esse período, foi responsável pela Gestão e Monitorização dos Projetos de Financiamento (Programas SAMA 2020, POISE, NORTE 2020) e integrou a Comissão da Qualidade e Segurança do Doente, a Comissão de Humanização Hospitalar, a Comissão do Risco e Segurança da Informação, o Grupo de Apoio ao Encarregado de Proteção de Dados e coordenou a Comissão de Eventos.

Atualmente, e desde maio de 2021, é Data Analyst no Outcomes Research Lab, do IPO – Porto, encontrando-se a frequentar o Executive Master em Gestão e Administração em Saúde, desde dezembro de 2021.

Delfim Pereira Neto Rodrigues é licenciado em Direito e pós graduado em Administração Hospitalar. 

Em 1987 por concurso público internacional foi designado representante da Europa do Sul no Programa “Hubert Humphrey” do “Fullbright”. Nessa qualidade estagiou em diversos Hospitais e outros organismos de saúde e empresas dos Estados Unidos e Canadá. Paralelamente cursou em algumas universidades americanas nas áreas de Administração Hospitalar e Saúde Pública, Promoção Continuada da Qualidade, Engenharia Biomédica, Sistemas de Informação e Gestão, entre outras.

Em 2015, é-lhe atribuída, pelo Ministro da Saúde, a medalha grau ouro, por serviços distintos prestados à Saúde.

Atualmente, é o Coordenador do Programa Nacional de Implementação das Unidades de Hospitalização Domiciliária nos hospitais do SNS.

Licenciado em Engenharia Biomédica no Instituto Superior Técnico (2001-2006), concluiu posteriormente o MSc em Engenharia Biomédica em 2007. Finalizado o curso desenvolveu trabalho como investigador no Instituto de Telecomunicações até ao ano de 2008 no contexto de electrónica médica e processamento de sinal.

Transitou para o contexto empresarial em 2009, através de um breve período em Consultadoria na Novabase, tendo mudado para a Siemens Healthcare ainda no final de 2009, onde colaborou na área de gestão de projecto no contexto da inovação e qualidade.

Em 2011 mudou para a Medtronic Portugal para desempenhar funções de suporte técnico/cirúrgico na área da Neuromodulação onde adquiriu experiência para o desempenho de funções de gestão de mercado e produtos no contexto da Neuromodulação. Durante a realização destas funções na Medtronic completou o Mestrado Executivo em Gestão de Serviços de Saúde/Gestão de Empresas no período de 2017 a 2020. Pela experiência acumulada e formação académica específica, em 2021 transitou para a função de Gestor de Contas Estratégicas dentro da Medtronic, função que atualmente desempenha. 

Paulo Nunes de Abreu é co-Fundador Digital Health Portugal e o Iniciador do Health Data Forum. 

É o autor e editor da série de livros – Arquitetar a Colaboração e o fundador do col.lab | collaboration laboratory, um espaço aberto permanente onde ideias e pessoas se unem para co-criar e inovar através do poder da facilitação de grupos como um serviço público.

Desde 2020, é cofundador do Digital Health Portugal, uma iniciativa da sociedade civil criada para elevar a excelência do ecossistema de saúde português no contexto internacional.

Paulo Nunes de Abreu centra a sua atividade na criação de espaços de diálogo em eventos e no fomento de comunidades de prática, nomeadamente nos setores da educação e saúde em Portugal e Espanha, onde concebe intervenções para otimizar a mudança e a inovação.

  • Como chegar ao local da Conferência?

A Ordem dos Engenheiros – Região Norte encontra-se no coração da cidade do Porto, perto da Avenida dos Aliados.  Se te deslocares de comboio, a estação Porto São Bento é a ideal e o tempo de deslocação a pé até à Ordem é entre 5 a 10 minutos.  Se te deslocares de metro, poderás sair na estação da Trindade, Aliados ou Porto São Bento e estarás a uma curta distância a pé do local. 

  • Quando abrem as inscrições?

O período de inscrições decorreu entre os dias 20 e 30 de agosto, porém, face à elevada adesão, as inscrições foram encerradas no dia 29 de agosto. Contudo se estás inscrito em lista de espera, mantém-te atento ao e-mail porque ainda poderás participar na CNEB em caso de desistências.

  • Paga-se inscrição?

Sim, o bilhete para os 2 dias terá um valor simbólico de 5€. A atividade de sunset, no 1º dia do evento, terá um pagamento também de um valor simbólico à parte.

  • Como e em que momento deve fazer o pagamento da inscrição?

Os estudantes irão receber um e-mail de confirmação após a inscrição, nesse e-mail será explicada toda a informação relativa ao processo de pagamento. Quando receberes este e-mail terás também a oportunidade de, caso pretendas, inscreveres-te no Sunset.

  • Há bilhetes diários?

Sim, poderás adquirir bilhete apenas para um dos dias do evento. Os bilhetes diários terão um custo de 3,5€.

  • Refeições, transporte e alojamento?

Tendo em conta o cariz do evento, a ANEEB não se responsabiliza pelas refeições, transporte ou alojamento dos participantes. Porém, caso tenhas dificuldades com algum destes parâmetros, teremos todo o gosto em ajudar e facultar sugestões! 


Se tiveres alguma dúvida, não hesites em contactar emprego@aneeb.pt ou geral@aneeb.pt

 

COM O APOIO DE