Entrevista a Catarina Dias - Erasmus

A ANEEB teve o prazer de entrevistar uma das alunas que está atualmente a frequentar o 5ºano do Mestrado Integrado em Bioengenharia da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Catarina Dias, no dia 18 de agosto de 2019, tendo tido oportunidade de fazer Erasmus em Barcelona, Espanha.

[Entrevistador] – Luís Leston (ANEEB)
[Entrevistado] – Catarina Dias

[Entrevistador] – Qual, quando e onde foi a tua experiência Internacional?

[Entrevistado] – Fiz Erasmus Estágio no 2ºsemestre no ano letivo 2017-2018, em Barcelona.

[Entrevistador] – Porque é que escolheste Barcelona?

[Entrevistado] – A minha prioridade em Erasmus foi a cidade, no sentido de viver numa cidade em que goste, para além da experiência académica. Outra razão foi também querer aprender outra língua sem ter obrigatoriamente aulas, e em 6 meses, o espanhol era uma boa opção pela proximidade com o português. Finalmente, gostei de um instituto em Barcelona para realizar estágio, enviei mail e com a aceitação por parte deles, ficou decidido.

[Entrevistador] – Achas que conseguiste ultrapassar a barreira linguística?

[Entrevistado] – Consegui aprender um pouco de espanhol, mais especificamente o catalão, que é mais complicado que o castelhano, no entanto, não aprendi fluentemente.

[Entrevistador] – Quais foram as tuas maiores dificuldades a nível burocrático?

[Entrevistado] – O meu contrato só foi assinado uma semana antes de voltar e quando lá cheguei, eles não estavam preparados para me receber. Esse foi um aspeto negativo e foi complicado tratar lá pois tinha de estar a contactar pessoas diferentes, que nem sempre falavam inglês não havia a mesma facilidade de tratar aspetos burocráticos como na FEUP.

[Entrevistador] – Como fazias para ter Internet? 

[Entrevistado] – Como não estava registada na plataforma, tiveram de me dar credenciais de visitante para ter acesso à Internet.

[Entrevistador] – Quanto ao alojamento, como foi a experiência?

[Entrevistado] – Eu fui para Barcelona em fevereiro, e comecei logo a ver alojamento em novembro para estudantes devido à elevada procura. Tive sorte e consegui arranjar casa relativamente cedo e a um bom preço para a cidade que é, portanto o meu conselho é para procurar alojamento o mais cedo possível.

[Entrevistador] – Relativamente ao país (Espanha), qual foram as maiores diferenças quanto a Portugal que sentiste?

[Entrevistado] – Não senti grande diferença com Portugal, se calhar a nível da gastronomia e no preço da alimentação e bebida, mais elevado.

[Entrevistador] – A nível do seguro de saúde, como trataste?

[Entrevistado] – Tive de criar Cartão Europeu de Saúde como requisito da FEUP e depois em Espanha, tratei do seguro que era requerido com uma empresa específica.

[Entrevistador] – Agora, para terminar, o que retiraste de mais-valia da tua experiência? 

[Entrevistado] – Consegui aprender a fundo acerca de Deep-Learning, sendo que me forneceram GPU’s e memória que era difícil ter acesso na FEUP. Conheci imensas pessoas, fiz algumas amizades e acima de tudo, tive de sair da zona de conforto e enfrentar obstáculos que não estava à espera.

[Entrevistador] – Como fazias para ter Internet?

[Entrevistado] – Como não estava registada na plataforma, tiveram de me dar credenciais de visitante para ter acesso à Internet.

 

A ANEEB agradece por teres aceite esta entrevista e pela partilha da tua experiência fora de Portugal, esperando com isto ajudar outros estudantes que estejam prestes a tomar esta decisão. Votos de sucesso!

CLASSIFICAÇÃO DA EXPERIÊNCIA

Acessibilidade Linguística: 40

Clima: 75

Custo de vida face a Portugal: 40

Oportunidades Culturais: 75

Vida Social/Noturna: 80

Meio Académico: 70