Nos passados dias 11 e 12 de outubro, a Associação Nacional de Estudantes de Engenharia Biomédica (ANEEB) realizou a 1ª edição do Biomedical Engineering Summit (BES), na sede nacional da Ordem dos Engenheiros, em Lisboa. Este evento teve como principal objetivo promover a divulgação de projetos inovadores na área da Engenharia Biomédica, assim como debater a importância deste setor no panorama nacional. Através da aproximação entre estudantes, profissionais e empresas, foi possível discutir mais detalhadamente, no primeiro dia, a temática Machine Learning in Healthcare e, no segundo dia, Tissue Engineering and Biological Devices. 

O evento iniciou-se com as intervenções de: Ana Freire, Presidente Direção da ANEEB, que falou sobre o percurso da Federação nos últimos dois anos e dos próximos desafios do Ensino da Engenharia Biomédica em Portugal; Engenheiro Carlos Mineiro Aires, Bastonário da Ordem dos Engenheiros, que trouxe a perspetiva da Ordem quanto à temática da Engenharia Biomédica em Portugal e que, uma vez mais, expressou palavras de apoio pela causa que os Estudantes de Engenharia Biomédica defendem; Dr. Henrique Martins, Presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, que abordou a importância das tecnologias para os Serviços de Saúde em Portugal.

O primeiro painel científico do evento, Brain Computer Interfaces, colocou em debate os avanços recentes da neuroengenharia e neurociência através das palestras de Luis Montesano, Professor do Departamento de Ciência de Computadores da Universidade de Zaragoza, Miguel Castelo Branco, Professor na Universidade de Coimbra e Paulo Aguiar, Group Leader no i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto. Temas como processamento de sinal fisiológico ou microarrays de elétrodos não foram exceção e contribuíram para o aumento dos conhecimentos dos participantes.

Após o coffee-break, Arlindo Oliveira, Presidente do Instituto Superior Técnico, Pedro Abreu, Professor da Universidade de Coimbra, André Carreiro, Senior Researcher no Fraunhofer AICOS, e Nickolas Papanikolaou, Principal Investigator na Fundação Champalimaud, dinamizaram a mesa redonda intitulada Machine Learning in Healthcare, onde se abordou a análise de dados de uma forma mais fundamental, passando pela sua aplicação em algoritmos de machine learning mais complexos e dos potenciais impactos na saúde.

No final do primeiro dia, os participantes puderam ainda contar com um debate, intitulado Design of New Drugs using Machine Learning, entre Joel P. Arrais, Professor na Universidade de Coimbra, Irina Moreira, Professora na Universidade de Coimbra e José Teles, Data Scientist na Healx, com moderação de Cristina Campos, Presidente do Grupo Novartis em Portugal. As intervenções dos oradores focaram-se essencialmente na metodologia de utilização de algoritmos de deep learning e de machine learning na pesquisa de novos fármacos, com o objetivo de descobrir interações fisiológicas destes compostos com o sistema humano ou da sua possível aplicação em medicina personalizada.

Dinamizaram-se também sessões de apresentação oral e de posters, onde os estudantes puderam dar a conhecer os resultados dos seus trabalhos de investigação,apresentações de bancas de startups, atividades dinamizadas pelos Associados Efetivos da ANEEB e Speed Dating, no qual os participantes tiveram oportunidade de conhecer e conversar com os oradores do primeiro dia.

No segundo dia, o tema principal centrou-se em Tissue Engineering and Biological Devices. A primeira sessão contou com a apresentação de Diogo Silva acerca de um projeto desenvolvido na RWTH Aachen University, na Alemanha, intitulada “Combining Synthesis of Cardiorespiratory Signals and Artifacts with Deep Learning for Vital Sign Estimation”. Nesta sessão foi demonstrada a importância que as redes neuronais, como as Convolutional Neural Networks, podem ter em determinadas aplicações clínicas, nesta caso, para estimar sinais vitais dos pacientes. 

A segunda sessão consistiu em três apresentações de projetos na área da inovação dos dispositivos biológicos. O primeiro palestrante foi o Daniel Rodrigues que nos trouxe uma abordagem inovadora da Adapttech, a INSIGHT, para tornar mais eficaz o processo de consolidação e conceptualização de próteses dos membros. De seguida, a Dra. Filipa Campos Viola incidiu na importância do processo de regulamentação para o desenvolvimento e inserção de dispositivos no mercado de trabalho, realçando que em Portugal, por vezes, focamo-nos demais na vertente da inovação e muito pouco na de regulamentação. O terceiro palestrante foi o Dr. Pedro Costa, CEO e CTO da Biofabics, que nos presenteou com a perspetiva de olharmos para a inovação e para o empreendedorismo de uma forma mais consensual e integrada, demonstrando alguns exemplos de como este tipo de abordagens “híbridas” conseguiram alcançar o sucesso.

Após o almoço, as sessões da tarde iniciaram-se com um debate sobre a biofabricação, moderado pelo Dr. Nuno Matela. Neste debate, marcaram presença a Dra. Ana Catarina Pinto, investigadora no SBMG, o Dr. Marco Domingos, professor na Universidade de Manchester, o Dr. Pedro Costa, o Dr. Patrick Van Rijn, professor na Universidade de Medicina de Groningen, e o Dr. Diego Velasco, professor na Universidade Carlos III de Madrid. Este ilustre painel de oradores teve a possibilidade de demonstrar a importância que esta área da biofabricação terá num futuro próximo, realçando que é ainda um setor com muito por explorar. 

De seguida, ocorreram as sessões de Speed Dating, tal como no primeiro dia do evento, onde foi possível aos nossos participantes dialogarem e esclarecem as suas dúvidas, num ambiente mais propício a tal, com os diversos oradores do dia. 

Na sessão de encerramento, o Dr. Hugo Silva, do IEEE, teve ainda a possibilidade de nos apresentar a entidade que representa, indicando que esta pretende promover a inovação aproximando os estudantes do mercado de trabalho. Para finalizar, Luís Venâncio, Vice-Presidente da ANEEB, proferiu algumas palavras acerca do evento, realçando que este foi um enorme sucesso e agradecendo a toda a equipa que esteve na organização do mesmo. O dia terminou com a celebração do 2º aniversário da Federação através de um brinde entre todos os presentes: oradores, participantes e organização.

 

Categorias: Notícia