Na passada terça-feira, dia 5 de fevereiro de 2019, a ANEEB teve o prazer de estar presente no Monte da Caparica, no evento “JorTec Biomédica 2019”, organizado pelo NBN, Núcleo de Biomédica da Nova .

A abrir o evento tomou a palavra João Diogo Nunes, Presidente do NBN, desejando que os presentes pudessem aprender, e se deixassem inspirar por quem iriam ouvir ao longo do dia. Seguidamente, a Professora Doutora Carla Quintão, coordenadora do Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica na FCT NOVA, e o Professor Doutor José Paulo Santos, Presidente do Departamento de Física na mesma instituição, foram assertivos quanto à qualidade do curso e ao potencial dos seus alunos.

Dando início à primeira palestra, o convidado Ricardo Rua (Spark Agency) subiu ao palco com o objetivo de desmistificar o mercado de trabalho em quatro vertentes: Produto, Cliente, Proposta de Valor, e Comunicação. Através de questões inquietantes como “Qual é a tua cena?”, foi conduzindo a sua exposição interativa com a audiência.

O tema seguinte foi apresentado pelo Doutor Gautam Agarwal, que nos elucidou sobre problemáticas como a maldição da dimensionalidade, e sobre os diferentes modelos em que as pessoas fazem decisões, i.e. “bottom-up” versus “top-down”. Este investigador do Mainen Lab, na Fundação Champalimaud, pretende desvendar a capacidade do ser humano de adquirir competências e fazer decisões, interpretando os comportamentos do mesmo ao jogar video-jogos.

Por último, antes do coffee break, o Eng.º Filipe Mealha (SPMS), apresentou sucintamente o seu percurso académico e profissional, enquanto Engenheiro Biomédico ao serviço do Sistema Nacional de Saúde.

Diretamente do i3B’s, um grupo de pesquisa da Universidade do Minho, ouvimos o Dr. Vítor Correlo. Esta equipa foca-se em Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa, atuando no desenvolvimento de biomateriais de origem natural para tratamento de doenças relacionadas com malformações com ossos, tendões e até mesmo músculos.

Pela voz do Engenheiro Biomédico Rafael Simões, foi apresentada a b2Quant, uma consultora especializada em análise quantitativa de ressonâncias magnéticas cerebrais. O principal objetivo desta startup visa contribuir para um diagnóstico mais rápido e eficaz de doenças como esclerose múltipla, doença de pequenos vasos e suspeita de demência.

De seguida, Mafalda Neiva, recém-graduada em Engenharia Biomédica pela FCT NOVA, partilha como tem sido trabalhar na Siemens Healthineers, na medida dos projetos envergados, objetivos futuros na empresa e por que áreas um Engenheiro Biomédico poderá incidir.

Joana Pinto e João Ramiro, co-fundadores da Clynx, apresentaram a sua startup e de como surgiu a ideia de aliar exercícios fisioterapêuticos com a facilidade e o divertimento inerente a um videojogo, de modo a que seja acessível tanto a sua utilização por parte do paciente como a recolha de informação por parte do fisioterapeuta.

Posteriormente, o Professor João Sequeira (ISR), investigador no Instituto de Sistemas e Robótica, partilhou os obstáculos enfrentados e consequentes desenvolvimentos na concepção e posterior inserção de robots sociais a utilizar em ambiente clínico junto de doentes, realizando também uma contextualização desta prática a nível nacional e internacional.

Para encerrar a 20ª edição das Jornadas Tecnológicas, decorreu um debate sobre a Criatividade, Esforço e Inovação na Engenharia Biomédica, que contou com a Professora Doutora Carla Quintão, o Engenheiro Hugo Silva, a aluna Joana Pinto e como moderadora a Professora Cláudia Quaresma. Neste painel surgiram algumas questões como “Qual será o papel de um engenheiro biomédico no futuro?” e “Será que os engenheiros biomédicos terão o caminho dificultado em âmbito de um meio hospitalar?”.

A ANEEB agradece e congratula o NBN pela organização de um evento rico, tanto na diversidade formativa e profissional dos seus oradores, como na qualidade das suas intervenções.

Categorias: Notícia