A aquisição e o armazenamento de dados no meio hospitalar têm revelado uma importância extrema para a agilização de processos neste setor. Idealmente pretende-se homogeneizar todos estes procedimentos, assim como acelerá-los, de modo a executar-se uma determinada ação o mais rapidamente possível. Desta forma, o mercado atual foca-se no desenvolvimento de ferramentas que permitam a aquisição de informação através de métodos não invasivos em tempo real.

Um dos dispositivos mais debatidos neste contexto foi desenvolvido por uma equipa de investigadores, da National Taiwan University, que consiste, essencialmente, num sensor intra oral incutido num único dente permitindo a análise de inúmeros dados do indivíduo que o está a utilizar. Visto ser um dispositivo que está no interior da cavidade bucal, a segurança torna-se um fator ainda mais preponderante. Tendo isso em conta, a equipa que desenvolveu este projeto providencia a segurança da utilização do dispositivo, uma vez que no caso de este ser engolido, o sensor é revestido com materiais que lhe permitiriam passar por todo o sistema digestivo sem causar qualquer dano. Este sensor é capaz de avaliar os índices de atividade relativamente aos movimentos da mandíbula, fumar, tossir, falar, entre outros parâmetros. Os dados são posteriormente transmitidos para o computador, via Bluetooth. Desta forma, os médicos conseguem analisar se o indivíduo está a comer ou a fumar em excesso, os dentistas conseguem analisar a degradação dentária e, em último caso, um psicólogo consegue analisar os níveis de stress. Este dispositivo, sendo não invasivo, indolor e esteticamente não visível, congratula-se por ser um avanço significativo para a agilização do diagnóstico de diversas patologias.

Inúmeros produtos têm sido desenvolvidos para combater os desafios impostos pela necessidade de melhorar os cuidados de saúde. A monitorização diária do funcionamento do coração de um indivíduo para a deteção de qualquer doença cardíaca, ou a medição da frequência respiratória do paciente são apenas alguns parâmetros que conseguem ser medidos em tempo real e facilmente analisados pelo clínico. Mesmo durante o período de internamento, a aquisição de dados em tempo real assume um papel bastante importante. Desde a análise à temperatura corporal, até ao nível de oxigénio no sangue, passando pela avaliação da pressão sanguínea. Adquirir estes dados e conseguir armazená-los de forma simples são dois fatores imprescindíveis para se conseguir atuar o mais eficientemente possível, caso algum problema surja.

Posto isto, e tendo em conta as necessidades do sistema de saúde, iremos verificar grandes desenvolvimentos nesta área nos próximos tempos. O objetivo passará sempre por adquirir o maior número de dados de um paciente o mais rapidamente possível, sendo o ideal  que a aquisição, o armazenamento e a análise sejam feitos em tempo real. Apesar dos notáveis avanços que conseguimos alcançar, este é ainda um setor com grande margem de progressão e com muito para explorar.

Seguir artigo no LinkedIn

Categorias: Artigo