Inteligência artificial (IA) é a inteligência idêntica à humana realizada por mecanismos e softwares. Trata-se da capacidade das máquinas pensarem como seres humanos, terem o poder de aprender, raciocinar, perceber, deliberar e de decidir de forma racional e inteligente. Este termo surgiu em 1956, por John McCarthy, para descrever um mundo em que as máquinas poderiam “resolver os tipos de problemas que hoje são reservados para humanos”. Os sistemas de IA têm diversas capacidades tais como: a capacidade de raciocínio, ou seja, aplicar regras lógicas e um conjunto de dados disponíveis para chegar a uma conclusão, que consiste na capacidade de conseguir aplicar o raciocínio nas situações do dia a dia, aprendizagem, que corresponde a aprender com os erros e assim evoluir de forma a tornar-se mais eficaz e, por fim, reconhecer padrões, sejam visuais, sensoriais ou comportamentais.

Watson é um software criado pela International Business Machines (IBM) que serve de auxílio a profissionais, criadores de startups e empresas que desenvolvem sistemas cognitivos para melhorar processos, interações e ações. Esta plataforma, apresentada mundialmente em 2011, tem evoluído e hoje em dia já possui serviços como reconhecimento e análise de vídeos e imagem, interação por voz, criação de assistentes virtuais entre outras utilidades. Na área da saúde, Watson tem sido uma mais valia uma vez que tem a capacidade de analisar todo o histórico médico em poucos minutos e indicar possíveis tratamentos, como por exemplo, para pacientes com cancro.

A Atomwise,  uma empresa responsável por desenvolver sistemas de IA com o objetivo de ajudar a descobrir novos medicamentos produziu a AtomNet, a primeira tecnologia de aprendizagem profunda. Esta empresa foi criada através da colaboração de vários grupos de pesquisa líderes em organizações de alto nível como Harvard University, Stanford University, Scripps Research Institute e grandes empresas farmacêuticas, conseguindo ultrapassar dificuldades da saúde humana. Tem sido notável o sucesso da Atomwise ao longo dos últimos 4 anos que, com a utilização da AtomNet, ajudou a criar novos potenciais medicamentos para mais de 50 patologias distintas, tais como, esclerose múltipla, ébola, neurotoxina botulínica, cancro, malária e doenças metabólicas.

Também a DeepMind Health foi fundada com o intuito de construir tecnologias de IA e colocá-las ao serviço de pacientes, enfermeiros e médicos de forma a conseguir que todos os pacientes tenham os seus dados analisados de forma precisa e o mais rápido possível.

Em suma, a inteligência artificial, que inicialmente apenas reproduzia o pensamento humano, tem vindo a evoluir de tal forma que, hoje em dia, utiliza recursos humanos tais como criatividade, auto aperfeiçoamento e uso de linguagem para ultrapassar dificuldades da sociedade.

Seguir artigo no LinkedIn

Categorias: Artigo