No dia 30 de outubro de 2017 foi prestado tributo ao Professor Doutor João Lobo Antunes no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, no XX Seminário Nacional do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) e que contou com o Alto Patrocínio da Presidência da República.

A segunda sessão, da parte da tarde, contou com um seminário onde se apresentaram os limites éticos e legais das novas áreas de conhecimento nomeadamente nas áreas das ciências sociais, neurociências e inteligência artificial. Desta forma o seminário iniciou-se com a intervenção de Bernd Stahl que falou sobre o projeto europeu Human Brain Project (HBP) e a definição de responsabilidade entre instituições. Seguiu-se o Doutor Rui Costa, da Fundação Champalimaud, que falou sobre as mais recentes descobertas nas neurociências, com foco na função dos neurónios dopaminérgicos no movimento e de que forma essas descobertas poderiam ser utilizadas em doentes com Doença de Parkinson, através de estimulação cerebral profunda. A Professora Margaret Boden, da Universidade de Sussex, falou sobre as barreiras éticas que encontrou nos inúmeros projetos de ciências cognitivas que desenvolveu ao longo da sua extensa carreira. O seminário encerrou com os comentários dos Professores Rui Oliveira e Nuno Sousa que passaram em revista as principais conclusões das apresentações e lançaram o espaço para um aceso debate.

Neste debate questionou-se até onde é que era aceitável deixar a inteligência artificial progredir dado que nas mais recentes técnicas de aprendizagem automática, as redes neuronais, não há aparentemente controlo sobre o padrão ou lógica inferida e que já levou ao encerramento de projetos deste género no Facebook. A Doutora Maria de Belém discutiu o  papel do HPB e se se garantiria a sua exclusividade para fins de investigação, dado que outros projetos similares noutros países têm associada uma componente militar. Falou-se igualmente da regulação sobre inteligência artificial e robótica que começa a ser ensaiada na União Europeia com o intuito de se garantir a segurança e privacidade dos seus cidadãos.

A sessão de encerramento coube ao Presidente do CNECV, Professor Doutor Jorge Soares, e ao Secretário de Estado do Ministério da Saúde, o Professor Fernando Araújo, que revelou em primeira mão o Prémio de Bioética João Lobo Antunes, que pretende consolidar o homenageado como referência de conduta ao nível académico, pessoal e ético. Este prémio anual dirigido a jovens até aos 35 anos tem como objetivo dinamizar a apresentação de estudos e trabalhos de investigação, originais e inovadores, em temas de ética, nos domínios da medicina, saúde pública, saúde em geral, biologia e ciências da vida. Vê o vídeo dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) para saberes mais sobre o galardão.

Categorias: Notícia