No passado dia 27 de março de 2018, a ANEEB esteve o prazer de estar presente no segundo dia do 15th International Symposium on Computer Methods in Biomechanics and Biomedical Engineering (CMBBE), que decorreu no Instituto Superior Técnico (IST) da Universidade de Lisboa.

A sessão paralela sobre mecânica dos tecidos moles iniciou-se com com Martyn Nash, que para solucionar as dificuldades de diagnóstico em fase inicial de cancro da mama desenvolveu uma técnica de imagiologia que recorre à modelação biomecânica 3D personalizada da mama. Através da junção de diferentes imagens médicas como mamografia, ultrassom e ressonância magnética nas posições de supinação e pronação o modelo estima a posição do tumor com base nas distorções de rigidez da mama.

Tomando em seguida a palavra, Dulce Oliveira presenteou-nos com o estudo de técnicas de episiotomia e o seu efeito nos músculos pélvicos durante um mau posicionamento no parto. Em 95% dos partos o feto encontra-se na posição normal, posição anterior occipital, enquanto que nos restantes casos se encontra na posição posterior occipital (posição anormal). Após vários estudos e simulações com modelos biomecânicos, foi possível inferir-se que a posição occipital era mais favorável relativamente à anormal, pela reduçao dos danos provocados nos músculos pélvicos durante o parto.

Seguiu-se Maria Vila Pouca com um outro estudo relacionado sobre o parto, desta vez incidindo-se na modelação anisotrópica visco-hiperelástico dos músculos pélvicos. Após apresentar várias simulações realizadas realçou a importância dos estados de repouso no parto uma vez que o tecido tem tempo de relaxar e recuperar parte das suas propriedades iniciais, não havendo tantos estragos nestes.

O fecho da sessão coube a Samuel Wall que apresentou as aplicações mais recentes de análise mecânica computacional em clínica cardíaca. Anteviu um grande potencial para as novas ferramentas de software que geram modelos multi-físicos automaticamente e permitem simular patologias tão variadas como a insuficiência cardíaca, hipertensão pulmonar e enfarte do miocárdio. Wall rematou a sessão defendendo a utilidade do uso de modelos computacionais, tanto na ciência básica como em situação clínica, salientado a necessidade da redução do seu custo através da adopção crescente da tecnologia.

A ANEEB gostaria a toda a organização do CMBBE a pertinência das apresentações e em especial ao Professor Paulo Fernandes pelo convite.

Categorias: Notícia