Ao segundo dia do eHealth Summit, a ANEEB teve o prazer de estar presente na conversa em torno da Transformação Digital na Saúde, protagonizada por representantes das Ordens profissionais. Entre estas, a Ordem dos Médicos, dos Médicos Dentistas, dos Farmacêuticos, dos Enfermeiros, dos Nutricionistas e dos Psicólogos.

A conversa iniciou-se com Sofia Couto Rocha, que apresentou o painel e solicitou a abordagem, por parte das ordens, do trabalho feito em prol da transformação digital em cada profissão.

Ana Rita Cavaco, Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, foi a primeira a expor o trabalho da sua Ordem através de um vídeo promocional do programa “Ninguém Está Sozinho”, concretizado em parceria com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS). O primeiro passo foi a renovação do website da Ordem, que agora permite o contacto entre todos os associados. Foram também criadas outras plataformas, como a do serviço de atendimento eletrónico 24H/dia, de disponibilização de formações gratuitas, de acesso gratuito a editoriais e bases de dados científicas e, por fim, de benefícios com funções sociais e lúdicas para os membros. Em parceria com os SPMS, contam ainda com um SClinic melhorado, baseando-se na diminuição no número de registos diários por parte dos profissionais e na transformação da linguagem CIPE.

Tomando em seguida a palavra, Orlando Monteiro da Silva, Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, avaliou a transformação digital como uma obrigação que as ordens têm de proporcionar. Enumerou, na sua intervenção, a existência do Portal do Prescritor que, em conjunto com os SPMS, auxilia no combate ao exercício ilegal da profissão. Apresentam ainda disponível um boletim para o utente, composto por informação relevante partilhada entre profissionais de saúde e o mesmo. Atualmente, já estão implementados balcões de utente e a interface SolveIt, vocacionada para o esclarecimento de dúvidas. Em tudo o que desenvolve, a Ordem procura acompanhar fielmente a nomenclatura internacional.  

Em representação da Ordem dos Farmacêuticos, o Doutor João Rijo abordou o diálogo bilateral entre médico e farmacêutico, através de um projeto piloto, Notas Terapêutica Simples, que funciona como um canal de comunicação entre prescritores e farmacêuticos comunitários.

Chegando à Ordem dos Médicos, o Bastonário Miguel Guimarães enalteceu a importância da Ética e da Deontologia na comunicação digital na saúde e da existência de regulação na medicina à distância, por forma a garantir o consentimento informado e o segredo profissional.

Na perspetiva da Ordem dos Psicólogos, a Psicologia mostra-se como uma das áreas em que tem havido mais avanço nas aplicações de saúde à distância, como consequência das muitas solicitações que chegam à Ordem. Presentes estão questões como ser possível intervir psicologicamente através de ambientes e instrumentos de natureza digital. De facto, já existem exemplos da aplicação de gamificação e realidade virtual para a promoção cognitiva, avaliação psico-fisiológica, ou através da aplicação data mining por forma a saber os períodos de maior afluência de pacientes nos serviços de urgência.

Fechando o painel, o Doutor Rui da Silva abordou a problemática do excesso de informação sobre nutrição não acreditada, dizendo que “Por detrás dos sites não existem rostos, [não havendo] prova de que o profissional é de facto nutricionista”. O Bastonário apela, então, à validação das plataformas pela Ordem, sem esquecer que o primeiro contacto entre nutricionista-utente deverá ser presencial, por muito que os seguintes possam usufruir dos benefícios à distância. Com efeito, um dos projetos que a Ordem de momento patroneia, de lema “Vamos pôr a nutrição na ordem”, apela à comunicação à mesma do exercício ilegal desta profissão.

Categorias: Notícia